quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A despedida de um artista afogado em si mesmo

Eu vi em teus olhos
(que você nunca pintou)
aquilo que quiseres dizer a vida toda

Você amou cada traço que desenhou

Você amou as alegorias que enfeitaram carnavais de outrora

Você amou cada retrato feito a pulso e grafite
Cada mendigo pintado a nanquim

Amou os índios a óleo
dizimados por homens que não amaram

Amou as pinturas sacras feitas em releituras de homens profanos

Fizestes questão de amar
até o último pulsar de teu coração
as tuas maiores obras
que não foram feitas a óleo
nem a carvão
e nem pela tinta fresca do nanquim
estas foram feitas de carne humana
e lapidadas a cada carinho de pai
pincelado por ti.

O que te diferiu dos homens comuns
foi a tua capacidade de não ter sido comum
e de não entenderem tua complexidade.

No dia que todos entenderem a verdadeira matéria
da qual, nós artistas, somos feitos
a humanidade será mais doce
o amor recairá sobre todos
e os sonhos deixarão de ser devaneios tolos
de homens simples
e tornar-se-ão realidade pura e fresca

e nos deixarão atônitos
assim como nos deixam
cada tela pintada por ti.


a Jobercé Alípio Filho (Tio Beceza, Becé) in memoriam

4 comentários:

Blog do Ced XD disse...

Sinceramente, ficou muito foda essa poesia primo. Painho teria gostado muito, se brincar até se emocionado, se brincar não, ele TERIA se emocionado com certeza. Cara Sei nem o que dizer pra você, ficou muito paw mesmo.
Parabens cara.

Cedric.

Aparecida Góis disse...

Rodrigo,Parabéns pela a original "Poesia" dedicada ao nosso inesquecível BECÉ.Se realmente o espiríto não morre,com certeza ele ficou muito feliz...Eu fiquei emocionada,muita autenticidade e veracidade nas suas palavras.É difícil de acreditar que ele não está mais entre nós,tenho sofrido muito...Peço a Deus que dê o descanso eterno ao nosso querido BECÉ. Agradeço a Deus por existir nesse mundo,uma Pessoa como VOCÊ!!! Meu abraço, Aparecida Góis.

Karinna França. disse...

A luz que nos aquece aqui vem daqueles mais especiais, dos que brilham no céu. =}

Bjos

Monique Oliveira disse...

"Somos feitos da matéria com a qual se fazem os sonhos" Disse há muito Shakespeare. Sabiamente ele deixou em seu pensamento uma profecia, a de que vivemos eternamente nos sonhos. Seu tio Jobercé postou muitos sonhos em suas obras e agora vive nelas.
Abraço, Monique Oliveira.